Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Nova associação promove música sacra e quer corrigir desigualdades no acesso à cultura

A organização de conferências, formações, exposições, publicações, concertos e recitais, a par da realização de iniciativas de solidariedade social, são alguns dos propósitos da Associação de Música Sacra de Braga (AMSB), fundada a 23 de agosto.

A constituição da Associação «teve como objetivo contribuir para a promoção da música sacra, criando um local aberto à comunidade que permitisse proporcionar momentos de diálogo e aprendizagem», explica uma nota enviada ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

Os membros da instituição propõem-se também «fazer pesquisa e recolha de tradições musicais sacras bracarenses, divulgar o incontestável tesouro musical sacro, promover e realizar concursos, demonstrações, exposições e outros eventos musicais».

A vertente formativa está também presente nas finalidades da Associação, com sessões para responsáveis de coros, organistas e salmistas, disponibilizando ensino em música sacra com diferentes durações, horários e graus de dificuldade.

A AMSB visa ainda «organizar e desenvolver várias iniciativas de solidariedade social, pretendendo fazer a diferença na correção de desigualdades na educação, formação, animação sociocultural e no acesso à cultura, apoiando desta forma, grupos vulneráveis, em especial crianças, jovens e idosos».

No plano das publicações, a Associação edita mensalmente o Boletim Informativo e a “Organum – Revista do Organista”, bimestral, que reúne e sintetiza informação essencial da área da música e da liturgia para os instrumentistas e «todos os que desempenham as mais diversas funções musicais na igreja».

Nesta sexta-feira a Associação ofereceu na sua sede um recital de órgão, com Samuel Pinto. Esta quinta-feira, 1 de novembro, às 21h00, no mesmo local, David Correia interpreta um recital de violino, e no último dia do mês, igualmente às 21h00, na sede, decorre a palestra “O ruído como elemento da criação musical”, por Dimitri Andrikopoulos.


 

Rui Jorge Martins
Imagem: D.R.
Publicado em 31.10.2018

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos