Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Uma casa de portas abertas: Seminário de Nossa Senhora da Conceição agraciado pelo presidente da República

Uma casa de portas abertas, para dar e receber, para acolher e enviar, para se entregar à grandeza da reciprocidade de vivências que se entrelaçam e de experiências que se cruzam e mutuamente se engrandecem, para realizar a beleza de ser e de se afirmar na abertura e na doação ao outro… Uma casa de portas abertas para formar e instruir, abrindo novos e ousados horizontes na vida daqueles que por ela passam... É o Seminário de Nossa Senhora da Conceição, também conhecido como Seminário Menor da Arquidiocese de Braga, que, no passado dia 9 de outubro, o Presidente da República, Professor Doutor Marcelo Rebelo de Sousa, agraciou com a Ordem da Instrução Pública.

A cerimónia de condecoração, surgida como resposta a um pedido efetuado aquando da comemoração dos 90 anos deste Seminário, inaugurado no dia 14 de novembro de 1924, decorreu no Palácio de Belém, em Lisboa, contando com a presença de elementos da direção do Seminário de Nossa Senhora da Conceição, encabeçada pelo Reitor, Pe. Mário Martins, que recebeu as insígnias das mãos do chefe da nação, e de uma delegação da Associação dos Antigos Alunos dos Seminários de Braga, liderada pelo presidente, José Maria Lima da Cruz.



Imagem Rui Ochoa/Presidência da República | D.R.


Diante desta condecoração convém, antes de mais, elucidar sobre a real origem que abre caminho à extraordinária história dos Seminários Arquidiocesanos de Braga. Na verdade, Braga possui um Seminário Conciliar porque, como provam os dados históricos, é o primeiro do mundo construído como consequência dos decretos tridentinos, ou seja, emanados do Concílio de Trento, que instituiu os Seminários Maiores e Menores para a formação dos futuros sacerdotes nas diferentes dioceses. Esta iniciativa teve como grande mentor o então arcebispo de Braga, D. Frei Bartolomeu dos Mártires, em inícios da segunda metade do séc. XVI, a caminho de completar cinco séculos.

Herdeiro da grandeza destes umbrais do passado, o Seminário de Nossa Senhora da Conceição narra, com a gramática dos afetos e das vidas que se cruzaram, a história de um caminho de incomensurável riqueza, feito pelos cerca de 9000 seminaristas que passaram pela história mais recente destes 90 anos, dos quais 1500 receberam o ministério ordenado, dos quais, mais tarde, alguns receberam a ordenação episcopal ou foram elevados ao cardinalato. De facto, ao longo destas nove décadas, o Seminário Menor de Braga, como é também conhecido, instruiu, formou e educou milhares de jovens provenientes da região norte do país. Mesmo os jovens que não seguiram a vocação sacerdotal tiveram, em muitos casos, oportunidades profissionais diversas, tornando possível um serviço diferenciado e muito útil à nossa sociedade. O motivo principal desta condecoração pretendeu, por isso, reconhecer, publicamente, o papel único e o valioso mérito que este Seminário desempenhou na formação deste grande número de jovens, assim como o seu preciosíssimo contributo ao serviço e construção da sociedade portuguesa ao longo destes, agora, mais de noventa anos da sua existência.



Imagem Rui Ochoa/Presidência da República | D.R.


Deste modo, e como já referido, o Seminário, agora agraciado como Membro Honorário da Ordem da Instrução Pública, mais do que um edifício, é sobretudo uma comunidade aberta ao mundo, em permanente intercâmbio com a sociedade onde se insere, numa atitude claramente provocadora, integral e integradora, perante a cultura hodierna em que vivemos, onde é mais natural que cada um se feche e se volte para si mesmo. O Seminário constitui-se como uma comunidade humana, eclesial, diocesana, educativa, em processo, onde o discernimento, por princípio, em ordem à formação de futuros sacerdotes, além de comportar as dimensões intelectual e académica, abarca ainda outras dimensões fundamentais: a humana, a espiritual, a comunitária e a pastoral.

Na verdade, a abertura e a comunhão com os outros são as atitudes que se aprendem na docilidade de Maria, a Senhora da Conceição, padroeira do Seminário. Mulher crente, de coração fecundado pela vontade de Deus, a Cheia de Graça, Maria acolheu o Seu chamamento, gerou no seu ventre o Salvador do mundo e assumiu plenamente a sua vocação de mãe de Deus e de mãe da Igreja universal. Maria é a Senhora da Ternura, colo que embalou Jesus, que acolheu cada um dos seminaristas que passou por esta instituição e que, perseverante e diligente, aconchega cada um dos seus filhos, de braços e coração permanentemente abertos, constituindo escola do amor e da Humildade, tal como é também evocada na Capela Imaculada situada no Seminário.



Imagem Rui Ochoa/Presidência da República | D.R.

Imagem Rui Ochoa/Presidência da República | D.R.

 

Seminário de Nossa Senhora da Conceição da Arquidiocese de Braga
Imagem de topo: Rui Ochoa/Presidência da República
Publicado em 11.10.2018

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos