Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Leitura: "Varanda de inverno"

Ora pro nobis

As criaturas que melhor pressentem a tristeza
são as crianças e os cães.
Deus assume as mais diversas formas.

 

Santos populares

As pessoas vão e vêm
em multidões festivas.
Vejo algumas que me parecem
tão certas de não irem
a lado nenhum.

 

Arcádia

Quero saber como seria
se não tivéssemos olhos nem boca.
O que nos seria dado a ver e dizer
através do espírito.

 

À queima-roupa

A materialidade traz-me mais pobre.
No espírito sobra-me a tua beleza,
essa fatalidade irónica
que me assalta.

 

Banquete

Sento-me sozinha à mesa
e obrigo-me a pensar no absurdo.

Não faço perguntas.
Elas sentam-se a meu lado
com um à-vontade cruel.

 

Trapezistas

Palavras em movimento
executam na folha
magia e assombro.

Fazem e desfazem
a justaposição desejada.

Fixam através do som
matéria inexplicável.

São hóspedes
na casa em que vivemos
e que nunca nos virá a pertencer.

 

Primeiro: continuar. Segundo: começar

Se não escrevo, leio.
Não descanso até encontrar
o poema que me alivie.
Encontrarei palavras
que me emprestem sentido.

É um modo de sobrevivência que pratico,
procurar casas dentro de casa.
Transporto uma candeia discreta e vejo
nos poetas-irmãos e nos poetas-amantes,
sossego para as emoções que me fazem cerco.

Fecharei os olhos
quando me sentir iluminada por dentro.

 

Ao fim e ao cabo

Não te separes de nada, a nada te juntes.
As coisas tomam a direção que lhes é própria.
Da casa em chamas, aprecia a sua combustão,
repara como a matéria se transforma.
Que dom habitará o que é tocado pelo fogo?

Não esqueças o silêncio no promontório,
crê que afinal a rebentação das ondas é calma.
A areia é que não sabe escolher
um lugar onde pousar.

 

Credo

Será que 
meu deus
está doente?

 

Idade de ouro

Esfreguei os olhos
na esperança de que o mundo
surgisse diferente.

Sucedeu ver
uma miríade de pássaros
levantar voo.

Estendi as mãos ao céu
e ordenei ao vento
que me semeasse.

É nesta terra que quero habitar.

 

Manifesto

Abrir mão
do desamor.

Dar cara
ao silêncio.

 

Promessa

Entre pássaros e raposas mortas
escolho a remissão do pecado
que enche de piedade,
Deus.



 

Marta Chaves
In "Varanda de inverno"
Edição: SNPC
Imagem: Capa | D.R.
Publicado em 09.05.2018

 

Título: Varanda de inverno
Autora: Marta Chaves
Editora: Assírio & Alvim
Páginas: 128
Preço: 13,30 €
ISBN: 978-972-37-2025-9

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos