Papa Francisco
Paisagens
Pedras angulares A teologia visual da belezaQuem somosIgreja e CulturaPastoral da Cultura em movimentoImpressão digitalVemos, ouvimos e lemosPerspetivasConcílio Vaticano II - 50 anosPapa FranciscoBrevesAgenda VídeosLigaçõesArquivo

Encontro com Deus precisa do silêncio e foge da publicidade, sublinha papa Francisco

O papa Francisco pediu esta sexta-feira, durante a missa a que presidiu no Vaticano, «a graça de amar o silêncio», que precisa de ser protegido longe dos holofotes.

Deus não «faz publicidade do mistério», porque «um mistério que faz publicidade de si não é cristão, não é o mistério de Deus: é uma simulação de mistério», vincou Francisco, citado pela Rádio Vaticano.

A «sombra», a «nuvem», o «silêncio» constituem, de acordo com a narrativa bíblica, algumas das ocasiões em que Deus se revela, como se lê no Evangelho proclamado nas eucaristias desta sexta-feira, referente ao anúncio que um anjo faz a Maria sobre o nascimento de Jesus.

«Esta nuvem em nós, na nossa vida, chama-se silêncio: o silêncio é precisamente a nuvem que cobre o mistério da nossa relação com Deus», «mistério que não podemos explicar» e que «se perde» quando não há silêncio na vida.

Maria, a Mãe de Jesus, «foi o ícone perfeito do silêncio»: «Com o silêncio, protegeu o mistério que não compreendia [do nascimento de Jesus] e com este silêncio deixou que este mistério pudesse crescer e florir na esperança».

«Que Deus nos dê a todos a graça de amar o silêncio, de o procurar, e ter um coração guardado pela nuvem do silêncio», pediu Francisco a terminar a homilia.

 

Rádio Vaticano | Com SNPC
© SNPC | 20.12.13

Redes sociais, e-mail, imprimir

FotoPapa Francisco

 

Ligações e contactos

 

 

Página anteriorTopo da página

 


 

Receba por e-mail as novidades do site da Pastoral da Cultura


Siga-nos no Facebook

 


 

 


 

 

Secções do site


 

Procurar e encontrar


 

 

Página anteriorTopo da página