Papa Francisco
Paisagens
Pedras angulares A teologia visual da belezaQuem somosIgreja e CulturaPastoral da Cultura em movimentoImpressão digitalVemos, ouvimos e lemosPerspetivasConcílio Vaticano II - 50 anosPapa FranciscoBrevesAgenda VídeosLigaçõesArquivo

Vaticano

Papa Francisco: «Irmãos, vamos! Não cedamos ao pessimismo e ao desencorajamento»

O papa Francisco recebeu hoje os cardeais que por estes dias se encontram no Vaticano. Apresentamos alguns excertos da sua intervenção, pontuada pelo entusiasmo, pelo estímulo e pela necessidade de transmitir a sabedoria aos jovens, na firme convicção de que o Evangelho continua tão atual e necessário como o foi no início do cristianismo.

«Não cedamos ao pessimismo e ao desencorajamento: tenhamos a firme certeza que o Espírito Santo dá à Igreja, com o seu sopro poderoso, a coragem de perseverar e também de procurar novos métodos de evangelização para levar o Evangelho até aos confins da terra.»

«A verdade cristã é atraente e persuasiva porque responde à necessidade profunda da existência humana, anunciando de maneira convincente que Cristo é o único Salvador de todo o homem e de todos os homens. Este anúncio continua válido hoje como o era no início do cristianismo (...).»

«Caros irmãos, força! Metade de nós tem a idade avançada: a velhice é - com gosto o digo assim - a sede da sabedoria da vida.»

«Ofereçamos esta sabedoria aos jovens: como o bom vinho, que com os anos se torna melhor, ofereçamos ao jovens a sabedoria da vida. Vêm-me à ideia o que um poeta alemão dizia do envelhecimento: "Es ist ruhig, das Alter, und fromm”: é o tempo da tranquilidade e da oração. E também de dar aos jovens esta sabedoria.»

«Um pensamento repleto de grande afeto e de profunda gratidão dirijo ao meu venerado predecessor Bento XVI, que nestes anos de pontificado enriqueceu e revigorou a Igreja com o seu magistério, a sua bondade, a sua orientação, a sua fé, a sua humildade e a sua mansidão. Permanecem um património espiritual para todos! O ministério petrino, vivido com total dedicação, teve nele um intérprete sábio e humilde (...). Sentimos que Bento XVI acendeu no profundo do nosso coração uma chama: ela continuará a arder porque será alimentada pela sua oração, que sustentará a Igreja no seu caminho espiritual e missionário.»

«Regressai agora às vossas sés para continuar o vosso ministério, enriquecidos da experiência destes dias, tão carregados de fé e de comunhão eclesial. Tal experiência única e incomparável permitiu-nos colher em profundidade toda a beleza da realidade eclesial, que é uma reverberação do fulgor de Cristo ressuscitado: um dia olharemos esse rosto belíssimo do Cristo ressuscitado!»

«À poderosa intercessão de Maria, nossa Mãe, Mãe da Igreja, confio o meu ministério e o vosso ministério. Sob o seu olhar materno, cada um de nós possa caminhar feliz e dócil à voz do seu Filho divino, reforçando a unidade, perseverando em concórdia na oração e testemunhando a genuína fé na presença contínua do Senhor.»

Este sábado, às 10h00 de Lisboa (mais uma no Vaticano), o papa Francisco encontra-se com jornalistas.

No domingo, às 11h00, recita pela primeira vez enquanto papa a oração mariana do Angelus, a partir do apartamento pontifício.

A missa para a solene inauguração do pontificado está marcada para terça-feira, 19 de março, Dia do Pai e data em que a Igreja Católica assinala a solenidade de São José. A celebração começa às 8h30 na Praça de S. Pedro.

Para quarta-feira está agendada um encontro com os Delegados Fraternos, não se realizando a habitual audiência geral.

 

Rui Jorge Martins
© SNPC | 24.03.13

Redes sociais, e-mail, imprimir

Foto
Papa Francisco
no discurso aos cardeais
Vaticano, 15.3.2013
Foto: CTV

 

Ligações e contactos

 

 

Página anteriorTopo da página

 


 

Subscreva


Siga-nos no Facebook

 


 

 


 

 

Secções do site


 

Procurar e encontrar


 

 

Página anteriorTopo da página