Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Para melhor conhecer o Islão: Textos sagrados

Imagem Alcorão | © osmanpek/Fotolia

Para melhor conhecer o Islão: Textos sagrados

O Alcorão

Do árabe "Al-qur'an", significa «a proclamação», «a leitura». «que é constantemente recitado» (com origem no verbo, comum em formas semelhantes, em várias outras línguas semitas atuais e antigas, "qr'", que genericamente significa «ler», «recitar», «clamar», «convocar», «chamar», «invocar», isto é, o que é para ser lido ou declamado, portanto, o Livro por excelência).

O Alcorão foi revelado a Muhammad entre os anos de 610 e 633 E.C.; a primeira revelação foi recebida na cova de Hira, junto a Meca. O Alcorão encontra-se reunido em "Suras" (capítulos), 92 das quais reveladas em Meca e 22 em Medina, perfazendo um total de 114. Ao todo, o Alcorão compreende 6616 versículos.

Decorrendo a revelação, Muhammad recitou-a aos seus companheiros, que a terão escrito no material que tinham à disposição (omoplatas de camelo, folhas de palmeira, pedras). As revelações a Muhammad foram mais tarde reunidas em forma de livro. Considera-se que a estruturação do Alcorão como livro ocorreu entre 650 e 656.

 

Suna, Hadith

A palavra árabe "Suna" significa «um caminho», logo "suna do Profeta" significa os caminhos do Profeta, ou aquilo que é normalmente conhecido como "Tradições do Profeta".

"Suna" significa também os feitos, dizeres e aprovações do Profeta, ao longo dos seus 23 anos como Profeta, e isto significa que tudo o que ele disse, fez ou aprovou, durante o seu tempo como profeta e mensageiro de "Allah", é considerado uma "suna", e os muçulmanos têm de seguir e praticar as suas tradições. Os registos validados (o "hadith") desse «caminho» constituem um exemplo moral para os muçulmanos.

Logo após o Alcorão, a "Suna" é a segunda fonte da lei islâmica. Integrada por muitos livros, os mais importantes são: "Sahih Bukhari", "Sahih Muslim", "An-Nisai", "Attirmidhi", "Sunan Ibn Majah" e "Sunan Abu Daud", que perfazem um corpo de lei islâmica e diretivas divinas para muçulmanos em todo o mundo.

A "Suna" é o caminho ou feitos do Profeta Maomé, durante o seu período de profecias; enquanto que o "Hadith" é uma coleção das suas narrações e aprovações, durante o mesmo período. As suas palavras são praticamente equivalentes, na medida em que se referem às tradições do Profeta.

A grande diferença reside no facto dos "Hadiths" serem classificados quanto ao seu estatuto, em relação aos seus textos e à sua cadeia de transmissores.

 

In "Religiões - História, textos, tradições", ed. Paulinas
Publicado em 24.11.2015

 

 
Imagem Alcorão | © osmanpek/Fotolia
Logo após o Alcorão, a "Suna" é a segunda fonte da lei islâmica. Integrada por muitos livros, os mais importantes são: "Sahih Bukhari", "Sahih Muslim", "An-Nisai", "Attirmidhi", "Sunan Ibn Majah" e "Sunan Abu Daud", que perfazem um corpo de lei islâmica e diretivas divinas para muçulmanos em todo o mundo
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos