Vemos, ouvimos e lemos
Paisagens
Pedras angulares A teologia visual da belezaQuem somosPastoral da Cultura em movimentoImpressão digitalVemos, ouvimos e lemosLigaçõesBrevesAgenda Arquivo

Arte e História da Igreja

Catacumbas revelam imagens que podem ser dos apóstolos Pedro, André e João

Em Junho de 2009, o site da Pastoral da Cultura transmitia a notícia da descoberta de um fresco do século IV que retrata S. Paulo, que responsáveis do Vaticano acreditavam ser a imagem mais antiga que se conhecia do apóstolo.

Por estes dias foram reveladas imagens detalhadas dessa representação de Paulo e também, crêem os especialistas, imagens de mais três apóstolos de Jesus Cristo: Pedro, André e João.

São frescos datados do fim do século IV ou início do século V, das catacumbas de Santa Tecla, perto da basílica de São Paulo, já fora das ruínas da Roma antiga. Os frescos já eram conhecidos, embora não estivessem nem devidamente estudados nem datados devido ao estado de degradação em que se encontravam.

Trabalhos de restauro, com recurso a laser, revelaram em pormenor o que a equipa de especialistas considera surpreendente.

Foto
“São as representações conhecidas mais antigas das figuras destes quatro apóstolos”, disse à agência Reuters Fabrizio Bisconti, responsável pelos trabalhos arqueológicos nas inúmeras catacumbas romanas, geridas pela Santa Sé.

Foto
Segundo o especialista, estas representações podem ter sido as que mais serviram de inspiração às representações dos apóstolos feitas por vários artistas.

Foto
Entre as características dos apóstolos que fazem a equipa acreditar que as representações serviram vários artistas, está a cara enrugada e alongada de São Paulo, a calvície e barba pontiaguda, conhecidas em muitas obras.

Foto
Os quatro círculos, de cerca de 50 centímetros cada, com a cara dos apóstolos foram pintados no tecto de uma das catacumbas, onde foi sepultada uma mulher, nobre, que se acredita que se terá convertido ao cristianismo no século IV, em que o imperador Constantino o legalizou, depois de se converter. “É uma descoberta importante para a história do cristianismo moderno e da formação das comunidades cristãs em Roma”, diz Bisconti.

Foto

 

Ana Machado (Público), Reuters, SNPC
Fotografia: Reuters Pictures
23.06.10

Foto

 

Ligações e contactos

 

 

 

Página anteriorTopo da página

 


 

Subscreva

 


 

Secções do site


 

Procurar e encontrar


 

 

Página anteriorTopo da página