Vemos, ouvimos e lemos
Música

Il Dolcimelo: Vilancicos do século XVI

O grupo de Música Antiga Il Dolcimelo é constituído por músicos profissionais, estudantes, cantores e coralistas com particular interesse com particular interesse pelo Renascimento e Barroco inicial. Com quinze anos de actividade, tem como objectivos recriar e divulgar as sonoridades do passado com rigor histórico – tanto no que se refere a repertório e interpretação, como na utilização de cópias de instrumentos da época.

Nos últimos anos tem vindo a desenvolver projectos em que associa à música pequenos excertos da literatura portuguesa da mesma época, procurando também incluir exemplos da belíssima iconografia que os artistas dos séculos XVI e XVII nos legaram.

O CD que aqui apresentamos foi gravado no Centro Cultural de Belém, Lisboa, em Dezembro de 2006, tendo sido apresentado em Abril, numa edição própria dos Il Dolcimelo, em parceria com a etiqueta Numérica.

O álbum integra um repertório único, de temática natalícia, que faz uma abordagem do Nascimento e da Maternidade como nunca anteriormente na história da música ocidental – nomeadamente pelo uso de línguas como o português, o castelhano e o catalão, em vez do habitual latim – mas também pelo encanto e simplicidade com que tal tema é transposto para a música. É uma visão terrena do assunto divino – sem contrariar a matriz cristã que lhe está na origem – remetendo para o espírito humanista que percorre o século XVI.

Um primeiro conjunto de canções – introduzidas por uma ‘Anunciação’ extraída de um auto de Gil Vicente – refere de diversas formas o nascimento de uma criança especial, envolta em ternura e afecto, acontecimento que é comentado geralmente pelas vozes de pastores e outras personagens populares. Através das canções recriava-se a narrativa bíblica, acessível ás camadas da população menos letradas, tal como se representavam os passos da Natividade que deram origem ao Presépio.

Il Dolcimelo

Um outro grupo de peças, particularmente devotadas à Virgem, alude frequentemente ao nascimento do seu filho, mas também às suas excepcionais qualidades femininas, nomeadamente exaltando a sua beleza e formusura. Gil Vicente chama-lhe “graciosa” e “divina rosa” e refere que “lírios, flores y rosas” procuram igualá-la, resumindo muito do que os compositores afirmam com as suas obras musicais.

Os instrumentos utilizados neste repertório são alguns dos mais referidos nas fontes portuguesas da época – flauta, corneta, sacabuxa, alaúde e violas – estando igualmente bem referenciados nos tratados e na iconografia do século XVI.

Capa do CD

"A maioria dos autores dos cancioneiros que cantamos neste álbum são anónimos e predomina o castelhano, até porque era a língua franca na Península Ibérica na altura", referiu Isabel Monteiro, directora do agrupamento, à Lusa. “É um repertório muito interessante, de uma grande simplicidade e que retrata o ambiente do século XVI".

Quanto à agenda de concertos, Isabel Monteiro lamenta que o agrupamento não se apresente mais no estrangeiro e que, por parte do Ministério da Cultura, não haja abertura para apoios financeiros a formações musicais como o Il Dolcimelo. "Vivemos uma época de muitas dificuldades e nós não conseguimos apoios para conseguir que um grupo como o nosso se apresente, por exemplo, no Brasil, onde sucessivamente temos sido convidados para actuar", lamentou Isabel Monteiro.

Para audição propomos a faixa «Ay Santa Marya», dos Cancioneiros de Palácio / Paris/ Colombina (2:15).

 

Il Dolcimelo | Lusa

30.06.2008

 

 

Topo | Voltar | Enviar | Imprimir

 

 

barra rodapé

Capa do CD


Vilancicos do século XVI
Canções ibéricas
ao Menino e à Virgem

Editora
Numérica

Duração
39:12

Data
2008

Interpretação
Il Dolcimelo

Direcção
Isabel Monteiro

Preço
€ 11,00

Referência
NUM 1161

Edição mais recente do ObservatórioOutras edições do Observatório
Edição recente do Prémio de Cultura Padre Manuel AntunesOutras edições do Prémio de Cultura Padre Manuel Antunes
Quem somos
Página de entrada