Observatório da Cultura
Apresentação de projecto

“Eis o Homem”

Fazer porquê?

No relato da Paixão que o Evangelho de João conta, um dos derradeiros interlocutores de Jesus liga-O, talvez sem grande consciência disso, a dois sintagmas que se tornariam centrais para a Fé cristã: primeiro, a pergunta «Que é a verdade?» (Jo 18,38), interrogação deixada em aberto em termos do discurso, e só radicalmente (e silenciosamente) respondida na oferta que esse Homem chamado Jesus faz de Si; e depois, a exclamação «Eis o Homem!» (Jo 19,5), que nos ajuda a sondar a profunda solidariedade que o Cristo de Deus mantém com a inteira história dos homens.

É interessante que o Evangelista, em vez de nos adiantar uma elaborada e explícita profissão de fé, nos proponha ainda a descoberta de Jesus através das subtilezas de um diálogo com um pagão (Pilatos), obrigando-nos a valorizar pormenores que só progressivamente se revelarão, aceitando que perguntas chave fiquem por responder ao nível das palavras, mas, ao mesmo tempo, sondando o modo como a história de Jesus e a história humana são pano da mesma túnica inconsútil.

A fidelidade ao próprio Jesus impele a Igreja a reflectir as grandes experiências da Humanidade. A certeza da relevância de Jesus e do Seu Evangelho, determina o imperativo de praticar e estimular um diálogo entre a sua experiência e outras expressões do humanismo e da cultura, que faça emergir mais claramente as questões de fundo por onde, hoje, o sentido da existência se decide, e a Igreja anime a cultura do seu tempo, e sinta-se por ela animada, a progredir na Verdade, no Bem e na Beleza.

 

Fazer o quê?

- Realizar, em rede, nas várias Dioceses (ou outros âmbitos eclesiais) uma série de conferências, ao longo de 2007/2008, que juntem, a debater aspectos diferenciados da realidade cultural (teologia, política, ciência, arte, saúde…), interlocutores competentes, quer de extracção católica, quer do mundo laico.

- O lugar das conferências seria preferencialmente a Catedral (ou outro com relevância cultural e eclesial).

- O Bispo Diocesano acompanhará de perto a iniciativa, cabendo-lhe sublinhar o enquadramento pastoral da iniciativa e os seus desafios.

 

No Patriarcado de Lisboa, organizado pelo Departamento Diocesano de Comunicação e Cultura, está previsto o ciclo de conferências a realizar na Sé Patriarcal:

 

A Verdade
26 de Abril de 2007, às 21h30
João Lobo Antunes, Médico
Manuel Carmo Ferreira, Filósofo
Moderador: D. Carlos Azevedo, Bispo Auxiliar de Lisboa

 

O Bem
10 de Maio de 2007, às 21h30
António Guterres, Alto-comissário para os Refugiados
Isabel Jonet, Presidente do Banco Alimentar contra a Fome
Moderador: José Luís Ramos Pinheiro, Rádio Renascença

 

A Beleza
24 de Maio de 2007, às 21h30
João Bénard da Costa, Director da Cinemateca Portuguesa
Jorge Silva Melo, Encenador
Moderador: Paulo Vale, Professor Universitário

 

As sessões, pontuadas por momentos artísticos, terão a presença do Senhor Patriarca, que terá uma palavra final.

 

© SNPC

 

Topo | Voltar | Enviar | Imprimir

 

 

barra rodapé

João Lobo Antunes





Isabel Jonet




António Guterres
Edição mais recente do ObservatórioOutras edições do Observatório
Edição recente do Prémio de Cultura Padre Manuel AntunesOutras edições do Prémio de Cultura Padre Manuel Antunes
Quem somos
Página de entrada