Observatório da Cultura
Paisagens
Pedras angulares A teologia visual da belezaQuem somosIgreja e CulturaPastoral da Cultura em movimentoImpressão digitalVemos, ouvimos e lemosPerspetivasConcílio Vaticano II - 50 anosPapa FranciscoBrevesAgenda VídeosLigaçõesArquivo

De que falamos quando falamos do Átrio dos Gentios?

Como nasceu?

Nasceu como uma iniciativa do Pontifício Conselho para a Cultura, acolhendo uma sugestão do Papa Bento XVI.

 

Que objetivos persegue?

> Relançar o diálogo entre crentes e não-crentes, criando experiências de escuta mútua e de encontro.

> Valorizar, no respeito pela verdade das identidades, o caminho comum e convergente que é possível percorrer, fiel assim às grandes linhas da “Gaudium et Spes” e do espírito do Concílio Vaticano II.

> Vencer o isolamento cultural com o qual a mensagem cristã hoje se debate: a própria Igreja toma a iniciativa de marcar a agenda cultural, procurando pensar e promovendo ela própria o pensamento amplo e aberto, das grandes questões humanas.

> Dar-se a conhecer, na frescura da sua tradição e no grande património espiritual e de humanidade de que é depositária; mas também aprender a escutar melhor a centelha de humanidade e de infinito que chega de geografias diferentes da sua.

> Reconhecer, com humildade e esperança, que Deus é uma questão para crentes e não-crentes. E que a nossa condição é a de indagadores e peregrinos.

 

Onde se realizou o primeiro encontro?

O primeiro encontro realizou-se na Universidade de Bolonha, e teve uma ampla repercurssão.

 

Como se operacionaliza o projeto?

De duas formas fundamentais:

> Através de um encontro marcante, organizado em cidades emblemáticas de um país (em Portugal, será Braga e Guimarães), e que o Pontifício Conselho para a Cultura acompanha de perto.

> Outra, igualmente fundamental, é entender o Átrio dos Gentios como uma ideia em movimento e um desafio feito a todos. De facto, nas várias dioceses do mundo ele tem dado origem a encontros, debates, círculos, tem unido vontades, tem despertado vivacidade e entusiasmo.

 

Este texto integra o número 17 do "Observatório da Cultura" (abril 2012).


© SNPC | 08.04.13

Redes sociais, e-mail, imprimir

Imagem

 

 

Artigos relacionados

 

Página anteriorTopo da página

 


 

Receba por e-mail as novidades do site da Pastoral da Cultura


Siga-nos no Facebook

 


 

 


 

 

Secções do site


 

Procurar e encontrar


 

 

Página anteriorTopo da página