Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Dulce Pontes atua em concerto evocativo dos 500 anos de nascimento de Santa Teresa de Ávila

Imagem Dulce Pontes | D.R.

Dulce Pontes atua em concerto evocativo dos 500 anos de nascimento de Santa Teresa de Ávila

A cantora portuguesa Dulce Pontes vai atuar a 19 de março na cidade italiana de Milão, num concerto integrado nas celebrações mundiais dos 500 anos do nascimento de Santa Teresa de Ávila, que se assinalam em 2015.

O concerto no mosteiro das Carmelitas Descalças evocará a cantora italiana Giuni Russo (1951-2004) e a sua aproximação à religiosa, mística e doutora da Igreja espanhola.

Dulce Pontes, que na quarta e quinta-feira se apresentou no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, e no dia 17 atua no Coliseu do Porto, após quatro anos de ausência dos palcos portugueses, decidiu dar o nome de "Peregrinação" ao seu novo disco.

«É mesmo uma peregrinação: no sentido espiritual, no sentido em que representa um encontro de pessoas e um encontro com a música, e porque é um caminho propriamente dito», explicou em entrevista publicada na mais recente edição do "Jornal de Letras".

Em 2012, Dulce Pontes cantou durante o 7.º Encontro Mundial de Famílias, também em Milão, durante a “Festa dos Testemunhos”, que reuniu atores, uma orquestra sinfónica, coros de gospel, bandas pop e “world music”, assim como artistas de circo.

O programa do concerto de 19 de março prevê a participação do cantor e compositor italiano Franco Battiato, bem como de Bianca Pitzorno, escritora e biógrafa de Giuni Russo, entre outros intervenientes.

O canto de Giuni Russo «soube explorar as diferentes dimensões da beleza e do sofrimento, como se fossem companheiros de igual dignidade e de igual respeito, parecendo que na dor ela encontrou aquele "júbilo de esplendor" a que sempre aspirou», refere a revista italiana "La Civiltà Cattolica".

A partir da década de 1990, Giuni Russo aproximou-se da espiritualidade carmelita e começou a admirar as figuras de Santa Teresa de Ávila, Edith Stein e S. João da Cruz.

Giuni Russo estabeleceu um diálogo com textos de Santa Teresa de Ávila que a impeliu a interpretar, ao vivo, "Nada te turbe" e a incluir poemas da religiosa no álbum "Morirò d'amore", lançado em 2003.

 

Rui Jorge Martins
Publicado em 08.01.2015

 

 
Imagem Dulce Pontes | D.R.
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos