Breves
Paisagens
Pedras angulares A teologia visual da belezaQuem somosIgreja e CulturaPastoral da Cultura em movimentoImpressão digitalVemos, ouvimos e lemosPerspetivasConcílio Vaticano II - 50 anosPapa FranciscoBrevesAgenda VídeosLigaçõesArquivo

Evocação

José Hermano Saraiva foi um «homem justo», considera diocese de Setúbal

A diocese de Setúbal publicou no seu site um texto evocativo de José Hermano Saraiva, onde elogia o caráter do apresentador de programas de televisão sobre História de Portugal.

Depois de lembrar que o ministro da Educação do regime de Salazar residiu e morreu em Palmela, na diocese setubalense, a nota publicada este sábado, dia do funeral, sublinha que ele foi «um homem justo, no sentido mais profundo e cristão» do termo.

«Justo porque sempre se guiou pela sua consciência – uma consciência profundamente atenta ao bem e à verdade – independente dos interesses materiais ou do julgamento alheio», realça o texto, que não está assinado.

A evocação salienta a «consciência profundamente atenta ao bem e à verdade» de José Hermano Saraiva, acrescentando que o antigo deputado fez sempre «o que considerou mais necessário para o bem comum».

O professor universitário nascido em 1919 desenvolveu «infatigavelmente» os «especiais dons que de Deus recebeu», tendo-os partilhado «com tantos e tantos que tiveram o privilégio do seu convívio, do seu ensinamento, da sua comunicação».

“Gratos pelo dom deste homem justo, pedimos a Deus, justo e bom, que o acolha”, conclui a nota.

 

Rui Jorge Martins
In Agência Ecclesia / SNPC
23.07.12

Redes sociais, e-mail, imprimir

FotoJosé Hermano Saraiva

 

 

Artigos relacionados

 

Página anteriorTopo da página

 


 

Receba por e-mail as novidades do site da Pastoral da Cultura


Siga-nos no Facebook

 


 

 


 

 

Secções do site


 

Procurar e encontrar


 

 

Página anteriorTopo da página