Observatório da Cultura
Paisagens
Pedras angulares A teologia visual da belezaQuem somosIgreja e CulturaPastoral da Cultura em movimentoImpressão digitalVemos, ouvimos e lemosPerspetivasConcílio Vaticano II - 50 anosPapa FranciscoBrevesAgenda VídeosLigaçõesArquivo

Evocação

Manuel Bidarra - In Memoriam

Manuel Bidarra, de seu nome completo Manuel José Bidarra de Almeida, nasceu em 27.12.1930 em Caria-Belmonte. Já em Lisboa fez o curso comercial, o curso dos liceus, frequentou até ao terceiro ano o curso de Psicologia no Instituto Superior de Psicologia Aplicada e tirou o curso de Relações Públicas no Instituto de Novas Profissões. Faleceu em Lisboa em 14.09.2010.

Pertenceu à JOC onde, nos anos 50, iniciou a sua atividade na secção de Santa Engrácia, de que foi presidente, e chegou a integrar o elenco da Direção Nacional do Movimento.

Entrou na Lisnave em 11.04.66, como chefe do Serviço de Pessoal, chefiou igualmente o Serviço de Informação (Publicações) e desempenhou funções nas empresas associadas da Lisnave, Lisnico, onde foi chefe de serviços, e na Gaslimpo onde foi subdiretor. Aposentou-se há 14 anos.

Antes do 25 de abril pertenceu ao grupo dos chamados “católicos progressistas”, tendo, nessa qualidade, subscrito a carta a Salazar, de 01 de março de 1959, e assinado o documento “A posição de alguns católicas”, de 25 de outubro de 1965.

Foi membro fundador da Pragma-Cooperativa de Difusão Cultural e Ação Comunitária, criada em 11.04.64, e dissolvida por despacho do ministro do Interior em março de 1968. Integrou a Direção da mesma.

Foi também um dos fundadores das Sedes – Associação para o Desenvolvimento Económico e Social, criada nos finais dos anos 70, de cujo primeiro Conselho Coordenador fez parte.

Associado a Manuel d’Oliveira Campos veio a constituir, nos anos 60, a Livraria S.Pedro, Editora. Entre as obras mais conhecidas oferecidas ao público, está o “Catolicismo Católico”, de que publicou várias edições, “A Arte de ser chefe” e a encíclica “Mater et Magistra”. Publicou um volume sobre “A crise Académica de Coimbra”, que lhe valeu vários problemas com a PIDE.

A livraria S. Pedro foi uma das grandes divulgadoras das revistas francesas “Informations Catholiques Internacionales” e “Croissance des Jeunes Nations”.

No final dos anos 60, porém, empreendeu, desta feita com Luís Glórias Ferreira, outro projeto livreiro, sob a forma de empresa limitada. Algum tempo depois sucedeu-lhe a Multinova-União Livreira e Cultural, como sociedade anónima.

Esta trabalhou com livros escolares e com o comércio de livros em geral. Tem editado dezenas de títulos, a maior parte dos quais de índole cristã. Colaborou com editoras brasileiras, nomeadamente Vozes e Loyola. Publicou obras de Leonardo Boff e livros de e sobre Abel Varzim.

Foi sob o seu impulso que a propósito da Semana de Teologia, e em colaboração com a Universidade Católica, decorreu em Lisboa e no Porto a Semana do Livro Cristão.

Manuel Bidarra era um homem de causas e um lutador entusiasta. Superactivo, após a sua reforma do Grupo Lisnave, passou a dedicar-se a tempo inteiro à Multinova. Até dia 30 de março último, data em que entrou no hospital, foi Presidente do Conselho de Administração da empresa. Pediu a renúncia por motivos de saúde.

 

João Gomes (recolha de dados)
Jornalista
In Observatório da Cultura, n.º 14 (Novembro 2010)
© SNPC | 06.11.10

Foto
Manuel Bidarra




























Citação

 

 

Artigos relacionados

 

Página anteriorTopo da página

 


 

Receba por e-mail as novidades do site da Pastoral da Cultura


Siga-nos no Facebook

 


 

 


 

 

Secções do site


 

Procurar e encontrar


 

 

Página anteriorTopo da página