Breves
Paisagens
Pedras angulares A teologia visual da belezaQuem somosIgreja e CulturaPastoral da Cultura em movimentoImpressão digitalVemos, ouvimos e lemosPerspetivasConcílio Vaticano II - 50 anosPapa FranciscoBrevesAgenda VídeosLigaçõesArquivo

Guimarães

Órgão de tubos do séc. XIX volta a ouvir-se após décadas de silêncio

O órgão de tubos da igreja da Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira de Guimarães vai voltar a ouvir-se, na sequência de um restauro que o resgatou de décadas de silêncio.

O instrumento, com dois manuais e 2229 tubos distribuídos por 51 meios-registos, foi encomendado pelo cabido da Colegiada ao organeiro vimaranense Luís António de Carvalho em 1831, refere uma nota enviada ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

Trata de um instrumento ibérico com base num flautado de 24 palmos (que só encontra par no Norte de Portugal nos órgãos ibéricos da Sé de Braga e no órgão de São Bento da Vitória no Porto), sublinha o mesmo comunicado.

A recuperação do instrumento, que abrangeu a sua caixa e entendeu-se à tribuna, foi apoiada por fundos da União Europeia.

A reapresentação do instrumento decorre esta sexta-feira, 6 de dezembro, às 21h30, com um concerto de órgão interpretado por Monika Henking, da cidade suíça de Lucerna, com a participação de dois coros de Guimarães.

Além de diversa música europeia do séc. XIX, será tocada em primeira audição moderna um Salmo para coro e órgão "obligato", recentemente transcrito dos Arquivos Musicais da Colegiada, que se encontram na Sociedade Martins Sarmento.

Órgão

 

Rui Jorge Martins
© SNPC | 02.12.13

Redes sociais, e-mail, imprimir

Órgão

 

Ligações e contactos

 

Artigos relacionados

 

Página anteriorTopo da página

 


 

Receba por e-mail as novidades do site da Pastoral da Cultura


Siga-nos no Facebook

 


 

 


 

 

Secções do site


 

Procurar e encontrar


 

 

Página anteriorTopo da página