Prémio de Cultura Padre Manuel Antunes
Acto de entrega do Prémio 2007

Palavras de Manoel de Oliveira ao receber o Prémio de Cultura Padre Manuel Antunes

Parece fácil mas é muito difícil. É tão difícil, ou será mais difícil receber do que dar. Será mais justo e mais nobre dar do que receber. Este prémio, para além das palavras que ouvimos [leitura da acta de atribuição do Prémio e intervenção de D. Manuel Clemente] é um estímulo e anima as pessoas a fazerem melhor, para além do melhor que possam fazer. É assim.

Para além disso, abrimos até com música, que nos encanta. A música é um elemento cultural ou artístico de essência. Leonardo da Vinci dizia que a música era a estrutura do invisível. A estrutura do invisível faz-nos sentir justamente o que não é visível, como por exemplo o céu. O anterior Papa dizia até que o céu era abstracto. A música leva-nos para esse espaço, espaço recôndito. É a vida, creio como católico que nasci, católico como fui educado pela família, num colégio de Jesuítas, e sobrecarregado com todas as dúvidas que pesam, creio que mesmo sobre os grandes santos. A dúvida é um estímulo de procura. É difícil vencer essa procura. Ou, por outras palavras, é difícil encontrar o que se procura. É nisso mesmo, nessa dificuldade, que, quanto a mim, se resume o grande mérito.

Foi um momento excepcional para a minha vida. Quando se principia, principia-se com grandes certezas – estava muito seguro, quando fiz o meu primeiro filme, do que era o cinema, do que eu ia fazer. E hoje estou muito menos seguro, muito mais duvidoso, mas também mais apaixonado.

Eu não quero prolongar-me com mais palavras – não sou um homem de palavras, de resto; estou mais seguro quando faço cinema – ou tenho essa ilusão – do que quando falo. Resta só dizer que fico extremamente sensibilizado. Vou daqui profundamente tocado por este prémio, que não digo que não mereço, porque já um Prémio Nobel disse, quando lhe davam o galardão, “muito obrigado, cá recebo este prémio, bem merecido por mim”; o rei, que lhe entregava o Nobel, disse-lhe: “É estranho, porque todos os outros dizem que não o merecem”, ao que o premiado lhe respondeu: “Têm toda a razão!”.

Muito e muito obrigado.

 

Artigos relacionados:

Acto de entrega - Leia a notícia e veja as fotografias

Entrevista a D. Manuel Clemente

Entrevista a D. Carlos Azevedo

Entrevista a Pedro Leal, Chefe de Redacção da Rádio Renascença

Palavra de D. Manuel Clemente durante o acto de entrega do Prémio a Manoel de Oliveira

Entrega do Prémio: notícia no «site» da Rádio Renascença (22.12.2007)

Entrega do Prémio: notícia no «site» da RTP (21.12.2007)

A surpresa de Manoel de Oliveira pela atribuição do Prémio de Cultura Padre Manuel Antunes

Manoel de Oliveira faz 99 anos a pensar nos filmes que ainda quer fazer

Comunicado de Imprensa referente à atribuição do Prémio Padre Manuel Antunes 2007.

Historial do Prémio de Cultura Padre Manuel Antunes: premiados de 2005 e 2006

 

 

© SNPC - Publicado em 24.12.2007

 

 

Topo | Voltar | Enviar | Imprimir

 

 

barra rodapé

Manoel de Oliveira
Edição mais recente do ObservatórioOutras edições do Observatório
Edição recente do Prémio de Cultura Padre Manuel AntunesOutras edições do Prémio de Cultura Padre Manuel Antunes
Quem somos
Página de entrada