/head O presépio da Igreja dos Terceiros | Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

O presépio da Igreja dos Terceiros

«...Há muito tempo, lá pelas bandas de são Macário, Serra que adotou o nome do Santo, nasceu um castanheiro….!

Nas encostas a nascente, por entre o solo rude e xistoso, a semente brotou. Acossada pelas chuvas, frio, vento, neve e o calor intenso nas épocas estivas, venceu as agruras, cresceu, se fez jovem e adulto… Quem sabe, talvez motivado pela imensa e esplendorosa paisagem que dali se contemplava, que enchia a alma! que dava vida! revelando a bondade e a beleza do Criador.

Esplendoroso! O castanheiro, produziu, alimentou, serviu de refúgio a inúmeras aves que usavam os seus ramos como abrigo, tantos animais que por ali passaram…! E pessoas…! Quem sabe se até o dito Eremita descansou na frescura da sua copa frondosa, quando percorria os trilhos agrestes daquelas encostas em direção aos lugarejos sob o calor intenso do verão.

Porém, ciclicamente e num período mais recente, surgiram os incêndios, elemento agressivo e inimigo das árvores. Como tantas outras, também o senhor castanheiro foi atingido pelas chamas violentas que lhe destruíram os ramos corroendo-lhe as entranhas. Contudo, sozinho, no meio de um manancial de cinza proveniente de milhões de plantas carbonizadas e no meio de um cenário negro, recuperou…!! Uma vez, e outra e outra…! com a ajuda das suas raízes vigorosas, sempre lançava novas vergônteas gerando vida, embora cada vez mais enfraquecido.

Pelo mês de agosto do ano de 2013, um novo incêndio que veio lá das bandas de Arouca atingiram-no violentamente e sem piedade, destruíndo o que restava daquele velho colosso, que finalmente, cansado, cedeu. Ainda assim, manteve de pé aquele pedaço de fuste que outrora foi imponente e vigoroso, sim de pé!! Como dizia o Engenheiro Coelho de Lemos, “Homem Sábio e amigo das florestas “As árvores morrem de pé”

Mesmo assim, alguém que por ali passou e outros que motivados por estas coisas lá voltaram, vislumbraram naquele pedaço de tronco de madeira apodrecida e carbonizada, BELEZA! E acima de tudo imaginaram o passado de um castanheiro que durante seculos terá sido o “Senhor castanea sativa” daquelas terras, dominando a paisagem.

Fazendo memória do seu passado, alberga agora no seu interior um PRESÉPIO DE NATAL.

O presépio tenta recriar e homenagear as aldeias típicas de xisto da Serra de São Macário, do Concelho de São Pedro do Sul, bem como as atividades rurais e quotidianas das suas gentes. 

Dando um especial destaque à Sagrada Família, realça o conteúdo da mensagem Bíblica com vista a sensibilizar os que o contemplam para o verdadeiro sentido do Natal.

Foi construído essencialmente com materiais naturais, como xisto, madeira barro e outros…» (Fr. José Carlos Cerdeira Martins).

Localização: Praça da República, Viseu.



Imagem D.R.

Imagem D.R.

Imagem D.R.

 

SNPC
Imagem: D.R.
Publicado em 21.12.2018

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos