Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Congresso de Arquitetura Religiosa Contemporânea disponibiliza atas das conferências

A organização do 6.º Congresso Internacional de Arquitetura Contemporânea, dedicado ao tema “Arquiteturas para uma nova liturgia. Intervenções no património religioso depois do Concílio Vaticano II”, disponibilizou, na internet, as intervenções dos conferencistas, acompanhadas de imagens.

«Nos finais dos anos 60, começou em todo o mundo um processo de renovação das igrejas católicas que pretendia responder às modificações litúrgicas implementadas durante o Concílio Vaticano II (1962-1965). Cinquenta anos depois, este processo continua a ser problemático nos edifícios com um alto valor patrimonial ou histórico», lê-se no primeiro parágrafo da convocatória para o encontro, que decorreu no Porto entre 10 e 12 de outubro.

O texto de introdução da iniciativa menciona algumas das «dicotomias que provocam tensões muitas vezes irresolúveis, entre o que se deve conservar e o que a comunidade pede, entre o consumo turístico e o acontecer quotidiano, entre o provisório e o definitivo, entre o urbano e o rural, etc.», pelo que é «imprescindível conhecer os critérios que suportam as intervenções».

Por isso, prossegue o texto, é «estimulante revisitar as arquiteturas mais relevantes a nível internacional, aquelas nas quais um diálogo aberto e sereno entre comitentes, arquitetos, utilizadores, artistas e responsáveis patrimoniais gerou obras de alto impacto».

«Neste sentido, que referências se poderiam utilizar num momento como o nosso, dominado pela liquidez concetual? Como reformar o já reformado? Qual é o papel que desempenham a arte, a arqueologia, a tecnologia ou as instalações?», questiona-se.

O processo de renovação da arquitetura sacra através da normativa e do magistério eclesiásticos, a reconstrução depois de terramotos, a iluminação artificial e a reutilização eclesial de igrejas que deixaram de ser espaços de culto, foram alguns dos temas refletidos pelos convidados, a par da apresentação de intervenções realizadas em igrejas em Itália, Espanha, Croácia, Hungria, Brasil e Austrália.

As conferências estão disponíveis em espanhol e inglês, inclusive a que encerrou o encontro, proferida pelo P. Joaquim Félix de Carvalho, ligado aos projetos das capelas Árvore da Vida, Cheia de Graça e Imaculada (Braga), intitulada “Terebinto, Tenda, Templo, Corpo. Anamnese maiêutica a pensar nas poéticas da arquitetura religiosa contemporânea”.

O congresso contou, na organização e no comité científico, com a participação dos arquitetos portugueses João Alves da Cunha e João Luís Marques, tendo sido patrocinado pelo Centro de Estudos de Arquitetura e Urbanismo (Universidade do Porto), Centro de Estudos de Historia Religiosa (Universidade Católica), Diocese do Porto, Ordem dos Arquitetos e Fundação para a Ciência e a Tecnologia, além de entidades espanholas.

No último dia do encontro, os participantes fizeram uma visita guiada por projetos de arquitetura religiosa contemporânea de Porto, Braga e Marco de Canaveses.


 

Rui Jorge Martins
Imagem: Presbitério da igreja de Saint-Hilaire de Melle, França | © Mathieu Lehanneur
Publicado em 12.05.2020

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos