/head Líderes mundiais olham para Taizé com esperança: Guterres e Ursula von der Leyen enviam mensagens | Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Líderes mundiais olham para Taizé com esperança: Guterres e Ursula von der Leyen enviam mensagens

O secretário-geral da ONU, António Guterres, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, enviaram mensagens aos participantes no 42º Encontro Europeu de Taizé, que começa este sábado na Polónia, e que termina no primeiro dia do novo ano.

«Há anos, quando era estudante universitário, participei num encontro de Taizé, e essas memórias permanecem vivas. Ontem e hoje, admiro muito os vossos esforços para congregar pessoas de tantos países e tradições», assinala o responsável português em texto publicado na página da comunidade ecumenica fundada pelo Ir. Roger Schütz.

Para António Guterres, a «abertura à diversidade é particularmente importante hoje, num tempo de divisões em todo o mundo. Assistimos a rivalidades geopolíticas, a desigualdades crescentes, a um abismo cada vez mais fundo entre os povos e as instituições políticas, e a uma rutura entre os povos e o planeta, ilustrada pelo agravamento da crise climatica».

«A cooperação internacional é mais importante que nunca, e o mundo precisa dos jovens, em particular para continuar a fazer pressão em favor da ação, das soluções e da mudança», acentua.

Ao desejar um «encontro memorável» para os cerca de 15 mil participantes de vários continentes, incluindo 150 de Portugal, esperados na cidade de Wroclaw, o secretário-geral lança «um apelo especial» para que ajam «em favor do ambiente».



«Penso em Santa Urszula Ledochowska que inspira a divisa do vosso encontro: “Sempre a caminho, mas nunca desenraizados”. Durante o seu longo caminho europeu, ela devotou-se sempre aos mais pobres e aos mais vulneráveis, e mostrou-nos a força da unidade. Cabe-vos, e a todos nós, segui-la»



Com efeito, «durante várias décadas, os humanos estiveram em guerra contra o planeta. Hoje o planeta defende-se. Estamos confrontados com uma crise climatic mundial, e o ponto de não-retorno precipita-se sobre nós».

«Em 2020 contarei convosco para continuar a fazer pressão a fim de manter o clima no topo da agenda internacional. As Nações Unidas serão o vosso parceiro sólido», também no propósito de «construer um mundo de paz, de desenvolvimento duradouro e de direitos humanos para todos».

Ursula von der Leyen expressa a convicção de que os jovens que vão atravessar a passagem do ano em oração ficarão com «laços, amizades, memórias e experiências que durarão toda uma vida».

«Durante a vossa estada, descobrireis novas perspetivas vindas dos vossos camaradas. Descobrireis o sentido puro da hospitalidade e da solidariedade com o acolhimento caloroso da comunidade local. E seguireis os traços de centenas de milhares de jovens que descobriram a alma da Europa durante a sua participação nos encontros europeus de Taizé», sublinha.

Depois de lembrar que em 2019 ocorre o 30.º aniversário da queda do muro de Berlim, que possibilitou à «família europeia estar finalmente reunida», a presidente da Comissão propõe aos participantes para, durante as orações e debates previstos no programa, pensarem «na coragem de todos aqueles que se bateram pela liberdade».



«Do fundo do meu coração, desejo-vos uma estada rica e feliz, plena de alegria, plena de descoberta e plena de amor»



«Pensai em todos aqueles que defenderam os seus valores. Pensai no que a unidade, a paz e a reconciliação significam para eles. É nosso dever nunca esquecer e nunca cessar de construir uma União [Europeia] mais solidária, mais justa, mais tolerante, mais aberta e mais humana», escreve.

A responsável aponta «bons exemplos» que os jovens podem seguir: «Penso, como é óbvio, na comunidade de Taizé, que incarna os nossos valores europeus. Mas penso também em Santa Urszula Ledochowska que inspira a divisa do vosso encontro: “Sempre a caminho, mas nunca desenraizados”. Durante o seu longo caminho europeu, ela devotou-se sempre aos mais pobres e aos mais vulneráveis, e mostrou-nos a força da unidade. Cabe-vos, e a todos nós, segui-la».

«Do fundo do meu coração, desejo-vos uma estada rica e feliz, plena de alegria, plena de descoberta e plena de amor», conclui Ursula von der Leyen, antes de, como António Guterres, desejar bom Natal e bom ano novo aos participantes.

Vários responsáveis religiosos remeteram também mensagens para o encontro: papa Francisco, patriarca ecuménico Bartolomeu, patriarcado de Moscovo, primaz de Inglaterra, secretário-geral do Conselho Ecuménico das Igrejas, e a diretora executiva da Comissão Teológica da Aliança Evangélica Mundial.

Esta é a segunda vez que Wrocław acolhe a iniciativa: há trinta anos, a cidade recebeu o primeiro encontro europeu a leste da "Cortina de Ferro": «Quando o Muro de Berlim caiu, o entusiasmo de uma liberdade reencontrada marcou todos os espíritos. Desde então, o mundo mudou: tenho grande confiança de que a geração mais jovem abrirá no nosso tempo outros caminhos de liberdade e de justiça», salienta o prior da comunidade de Taizé, Ir. Alois Loeser.


 

Rui Jorge Martins
Fonte: Taizé
Imagem: D.R.
Publicado em 27.12.2019

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos