Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

«Alguns homens parecem viver no tempo das cavernas», Igreja tem de prevenir violência contra mulheres

«Alguns homens parecem viver no tempo das cavernas», Igreja tem de prevenir violência contra mulheres

Imagem vchal/Bigstock.com

O presidente do Conselho Pontifício da Cultura mostrou-se hoje convicto de que «o único verdadeiro instrumento de prevenção da violência, em geral e especificamente contra as mulheres, é a educação, e essa é um grande tarefa para a escola e para a Igreja».

As declarações do cardeal italiano Gianfranco Ravasi foram proferidas na sequência do encontro “Prepotência e medo. A dignidade da mulher contra a violência”, que decorre hoje em Roma, co-organizado pelo departamento da Santa Sé que dirige e dirigido a estudantes dos últimos anos do ensino superior.

«As religiões que no passado foram instrumentos de guerra e oposição, agora, pelo menos na sua alma autêntica, são a única semente depositada neste terreno tão cheio de discórdia. Pensemos no que o papa Francisco está a fazer nessa direção», afirmou.

O papa, prosseguiu o biblista, «sublinha continuamente a importância de respeitar e valorizar a mulher. Convida a atitudes de misericórdia e compreensão nas relações. Mesmo perante os erros do outro, não se pode irromper contra ele com a violência da reação instintiva».

Essa evolução, todavia, «ainda não se deu integralmente, e alguns homens parecem permanecer no tempo das cavernas», frisou o prelado. 

No folheto do encontro sobre a dignidade da mulher contra a violência, realizado no âmbito do Átrio dos Gentios, plataforma da Santa Sé para o diálogo entre crentes e não crentes, encontra-se a oração pelos jovens vítimas de violência que Francisco proferiu a 12 de março.

«Peço-vos que rezeis comigo por todas as raparigas e jovens vítimas de violências, de maus-tratos, de exploração e de guerras. Esta é uma chaga, este é um grito abafado que deve ser ouvido por todos nós e que não podemos continuar a fingir que não vemos nem ouvimos», apelou o papa.



 

SNPC
Fonte: SIR
Publicado em 31.03.2017

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos