Papa Francisco
Paisagens
Pedras angulares A teologia visual da belezaQuem somosIgreja e CulturaPastoral da Cultura em movimentoImpressão digitalVemos, ouvimos e lemosPerspetivasConcílio Vaticano II - 50 anosPapa FranciscoBrevesAgenda VídeosLigaçõesArquivo

Papa Francisco

«Deus nunca cansa de perdoar; nós é que, por vezes, nos cansamos de pedir perdão»

O papa Francisco cumprimentou na manhã deste domingo cada uma das pessoas que participou na missa a que presidiu na paróquia de Santa Ana, dentro do Vaticano, tendo falado sobretudo com rapazes e raparigas e pedido a todos os fiéis que rezassem por ele.

«A mensagem de Jesus é a da misericórdia», a que não é fácil «confiar-se» porque é «um abismo incompreensível», afirmou o papa na homilia, acrescentando que Deus «nunca se cansa de perdoar»: «Nós é que nos cansamos de lhe pedir perdão».

Depois da missa o papa presidiu pela primeira vez à oração mariana do Angelus, da janela do seu apartamento pontifício, diante de milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro.

Francisco afirmou que por estes dias leu a obra "Misericórdia - Conceito fundamental do Evangelho - Chave da vida cristã" (Queriniana Edzioni, 2013), assinada pelo cardeal alemão Walter Kasper, «um bom teólogo», anterior presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos: «Fez-me muito bem», disse.

Foto

Ao comentar a leitura do Evangelho das missas deste domingo, em que Jesus salva uma mulher adúltera de ser condenada à morte, o papa afirmou: «Não sentimos palavras de desprezo, não sentimos palavras de condenação, mas apenas palavras de amor, de misericórdia, que convidam à conversão».

«O rosto de Deus é o de um pai misericordioso, que tem sempre paciência. Já pensastes na paciência de Deus, a paciência que ele tem com cada um de nós?», questionou.

 

Após cumprimentar os fiéis o papa dirigiu-se à janela do seu apartamento pontifício, de onde recitou o primeiro Angelus do seu pontificado.

Francisco lembrou a visita, em 1992, da imagem de Nossa Senhora de Fátima a Buenos Aires, arquidiocese que dirigiu até à eleição no conclave.

O papa afirmou que a escolha do nome do «padroeiro de Itália», Francisco de Assis, reforça as suas ligações afetivas ao país de onde a sua família é originária.

Foto

«Mas Jesus chamou-nos a fazer parte de uma nova família: a sua Igreja, nesta família de Deus, caminhando juntos no caminho do Evangelho», assinalou.

Na segunda-feira, 18 de março, encontra-se às 12h50 (menos uma hora em Lisboa) com a presidente da República da Argentina, Cristina Kirchner, na Casa de Santa Marta, no interior do Vaticano.

Foto

Na terça-feira, 19 de março, Dia do Pai e data em que a Igreja assinala a solenidade de S. José, pai adotivo de Jesus, o papa preside à missa que assinala o início do seu ministério petrino.

A celebração, marada para as 8h30 na Praça de S. Pedro, termina com as saudações dos chefes das delegações oficiais internacionais presentes no Vaticano.

Foto

Às 11h00 de quarta-feira Francisco recebe as representações dos Delegados Fraternos, e à mesma hora de sexta-feira tem uma audiência com o Corpo Diplomático acreditado na Santa Sé.

A 24 de março, Domingo de Ramos e primeiro dia da Semana Santa, o papa Francisco preside à missa na Praça de S. Pedro, às 9h30, e ao meio-dia recita a oração mariana do Angelus.

 

 

Rui Jorge Martins
Vídeos: CTV
Fotografias: L'Osservatore Romano
© SNPC | 24.03.13

Redes sociais, e-mail, imprimir

Foto
Papa Francisco
Missa na paróquia de Santa Ana
Vaticano, 17.3.2013
Foto: L'Osservatore Romano

 

Ligações e contactos

 

 

Página anteriorTopo da página

 


 

Subscreva


Siga-nos no Facebook

 


 

 


 

 

Secções do site


 

Procurar e encontrar


 

 

Página anteriorTopo da página